Viageria offline | Cariri

Tags:

Viageria Offline

Mari, a Mayra e o André são as pessoas que mais me incentivam a fazer o Viageria. Foi num dia de sol que tivemos juntos a ideia de organizar um encontro para reunir algumas pessoas com um objetivo: falar de viagem. E no dia 18 de Maio fizemos esse encontro pra lá de especial: convidamos 15 amigos para falar de viagem no quintal dos queridos Mari e Gui Boechat. A decoração ficou por conta da Mari e a pauta foi definida com antecedência: Copa do Mundo, Cariri, Tel Aviv e ano sabático.

Só deixo meu Cariri no último pau-de-arara

Mayra, que faz o maravilhoso O Brasil com S contou quase tudo que sabe (e ela sabe tudo) sobre o povo cativante do Cariri, que no passado acolheu Lampião e seu bando. Foi nessa terra cheia de histórias, que fica no extremo sul do Ceará e faz divisa com Pernambuco, que nasceram Gonzagão e padre Cícero. Uma das características mais fascinantes do povo do Cariri é o orgulho danado de sua região e uma vontade de cuidar das tradições locais, que a Mayra diz que viu em poucos lugares por onde já esteve. Ela contou que, desde a viagem, entende melhor a expressão “só deixo o meu Cariri no último pau-de-arara”.

a maravilha de viajar é ter noção de que existem várias formas de lidar com o mundo

A Mayra viajou por lá com o apoio da Agência de Turismo Comunitário (aqui e aqui) que organiza tudo para os viajantes serem recebidos na casa dos locais. Em Potengi, por exemplo, ela foi recebida por D. Maria Piauí, a rezadeira da região, senhora que se veste toda de um branco impecável e transmite muita paz, que deu um recado importante: “o povo da cidade grande não precisa ter medo da paz”. Ela contou essa e outras experiências nesse post de agradecimento que fez ao Cariri.

D. Maria Piauí em foto de Henrique Araújo (para o Brasil Com S)

D. Maria Piauí em foto de Henrique Araújo (para O Brasil Com S)

Localize-se

Tags: