Como planejar sua viagem para a Namíbia

Em Outubro de 2015 fizemos uma viagem sensacional de 10 dias pela Namíbia. Na época foi trabalhoso conseguir todas as informações para montar o roteiro. Para facilitar a vida dos próximos a se aventurarem por este país incrível, fizemos um apanhado de informações fundamentais para programar esta viagem. Antes de mais nada, é preciso pontuar que estamos falando de um país que vem se desenvolvendo nos últimos anos e ainda não possui grande infraestrutura turística.

Ah, se você quiser saber como foi o nosso roteiro, já contamos neste post. E se você ainda precisa de motivos para visitar esse país incrível, dê uma conferida neste outro post.

Waterhole Etosha

Etosha National Park

Ficha da Namíbia:

Capital: Windhoek
População estimada: 2,1 milhões de habitantes
Território: 825 KM2
Moeda: Dólar Namibiano ou Rand Sul Africano
Idioma oficial: English
Independência declarada em 21/03/1990

Quando ir: a melhor época para visitar a Namíbia vai de Maio a Outubro. Isso porque é a época que menos chove. No parque Nacional Etosha, principal destino de safári, é quando se avista melhor os animais, já que eles se aglomeram nos pequenos lagos e poças que persistem no período seco.

Dinheiro: a Namíbia tem sua própria moeda, o Dólar Namibiano, porém ele tem câmbio equiparado ao Rand Sul Africano. Este é aceito em todo o país sem o menor problema, facilitando a vida dos viajantes. Você pode comprar Rand Sul Africano em operadoras aqui no Brasil, como Ouro Minas e Confidence. Se quiser levar outra moeda, como Dólar ou Euro, é possível trocar lá tranquilamente. Cartões de crédito também são aceitos normalmente nos hotéis, lojas e restaurantes.

Como chegar: é possível voar diretamente de São Paulo para Angola e África do Sul, países vizinhos da Namíbia. De Taag voa-se para a capital angolana, que tem conexões para Windhoek. De South African Airways e Latam voa-se para Joanesburgo, na África do Sul. Tanto de Angola quanto das principais cidades da África do Sul, como Cidade do Cabo e Joanesburgo, é possível voar para a capital Windhoek de Air Namíbia por exemplo.

Como se locomover: a Namíbia é um país grande e a distância entre os principais pontos de interesse exige tempo e disposição. É possível viajar em pequenos aviões (Flying Tours) com empresas locais, porém esta opção é cara. A forma mais comum de viajar pelo país é por terra. As opções são:

1. Alugar um carro (de preferência um 4×4) e encarar a mão inglesa e as estradas de chão (algumas mal sinalizadas). Importante garantir mapas de papel além do GPS. Nós vimos muitas pessoas viajando por lá dessa forma, porém todos que conversamos eram viajantes com experiência em dirigir na mão inglesa. Se esta for a sua escolha, compre um chip de operadora local ou ative o roaming do seu celular para conseguir pedir ajuda caso o carro estrague no meio do nada. No aeroporto tem empresas conhecidas como Hertz, Avis e Europcar.

2. Contratar um pacote que inclui o carro e guia-motorista com alguma agência local. Esta é a opção mais cômoda e foi a escolhida por nós, veja mais abaixo os detalhes.

3. Contratar um pacote completo em ônibus turístico nas agências locais. Esta opção pode ser mais barata que a anterior, mas você deve estar preparado para viver todos os pormenores de uma viagem em grupo, como horários marcados, inflexibilidade de alterações de passeios e por aí vai.

Sossusvlei

No alto da duna em Sossusvlei.

Agências de turismo:

Contratamos a Blue Crane Safaris. Comecei a programar a viagem com vários meses de antecedência e foram mais de 30 emails trocados até termos o roteiro final exatamente do jeito que sonhávamos. De um modo geral o serviço deles foi muito bem feito e nosso guia-motorista era uma pessoa muito humilde e simpática. O pagamento foi feito via transferência bancária, inteiramente antes da viagem.

Aqui vai uma lista de agências para você fazer sua própria pesquisa de preços e passeios:

Wilddog SafarisWilderness Safaris, Matiti SafarisMabaruliBoboCampers, Pack Safari, Sense of Africa, Ke AdventureSunshine Tours, Namibia Experience,

Segurança: obviamente é bem complicado falar do grau de segurança de qualquer lugar do mundo hoje em dia. Importante mesmo é pontuar que os índices de violência neste país é baixo, a população é hospitaleira e prestativa. Por lá, escutei que é preciso tomar cuidado nas ruas da capital, Windhoek durante a noite. Nada muito diferente das capitais brasileiras.

O que fazer: os pontos altos da viagem são definitivamente Sossusvlei e Etosha. Com pouco tempo de viagem (até 5 dias), foque nesses locais, com estadia mínima de 2 noites em cada um para aproveitar bem.

  • Namib Desert (Sossusvlei), um dos primeiros desertos formados no planeta, que tem até árvores petrificadas e as dunas mais altas do mundo. Parece mentira?
  • Etosha National Park , um território gigante e desértico aonde é possível fazer as famosas game drives (safári) e avistar elefantes, leões, leopardos, zebras, girafas, rinocerontes, javalis e outros muitos animais. São 3 bases com hotéis: Okaukuejo, Halali e Namutoni. Também é possível se hospedar fora do parque, onde existem fazendas privadas de safári.
  • Himba Village: Faça uma parada obrigatória para conhecer uma vila do interessante povoado Himba. Hoje, a maioria da vilas ficam em áreas privadas (fazendas) e os Himbas são um grupo étnico protegido pelo governo local.

Com mais tempo (6 dias ou mais), inclua:

  • Kalahari Desert, um lugar lindo para começar sua expedição pelo país, antes de seguir para Sossusvlei por exemplo. Nessa área é possível avistar girafas e alguns outros animais menores. Por lá vivem os Bushmen, que se comunicam através das click languages.
  • Swakopmund é o balneário Namibiano. Uma cidade com boa estrutura turística, uma bela orla do oceano Atlântico e bons restaurantes. Ótima para passar uma noite durante o trajeto de Sossusvlei para Etosha, ou vice-versa. Lá é possível contratar sobrevoos pela Skeleton Coast, mas os preços são tão salgados quanto o Atlântico 🙂
  • Fish River Canyon é como o ‘Grand Canyon’  norte americano, em escala bem menor. Fica um pouco fora de mão dos roteiros turísticos tradicionais, no extremo sul do país, quase na divisa com África do Sul.

dicas-namibia-viagem

O roteiro ideal:

O tempo ideal de viagem na Namíbia para aproveitar tudo sem pressa são 10 dias inteiros: Kalahari (2 noites), Sossusvlei (3 noites), Swakopmund (1 noite), região dos Himbas (1 noite) e Etosha (3 noites). Visitar a Namíbia com tempo de sobra é o ideal pois nesta sugestão de roteiro são quase 40 horas nas estradas nem sempre asfaltadas, além de muitos trajetos de carro dentro das atrações e parques nacionais, além dos maravilhosos safaris.

Onde ficar:

Estes são os locais escolhidos e aprovados durante nossa viagem:

No Kalahari, ficamos no Bagatelle Game Ranch, com atendimento e restaurante excepcionais.

Em Sossusvlei, nos hospedamos no Desert Quiver Camp e fizemos as refeições (café da manhã e jantar) no ótimo restaurante do Sossusvlei Lodge.

Em Swakopmund, ficamos na Desert Villa Guesthouse, simples e acolhedora.

No Etosha, ficamos uma noite no Okaukuejo Resort e outra no Namutoni Resort. A única forma de se hospedar dentro do paque nacional é num dos resorts da NWR, como esses dois. Eles possuem área de camping também. Ambos ficaram longe de apresentar o melhor serviço da viagem: atendimento dos dois hotéis e qualidade dos restaurantes deixaram bastante à desejar. No entanto, não sabemos se vale à pena se hospedar nos hotéis de fora do parque. Provavelmente sim! Veja alguns aqui neste link.

Quanto custa? a Namíbia é um país de turismo democrático: os mochileiros encontram acomodações baratas e quem quer conforto encontra hotéis de primeira. Não é um lugar caro como os tradicionais destinos de safári na África. É possível até se hospedar em acampamentos bem estruturados, um verdadeiro paraíso para os mochileiros. Ao mesmo tempo, permite uma viagem super confortável, com estadia em hotéis de categoria superior com preços bem mais econômicos do que estamos acostumados a pagar em outros lugares e até mesmo no Brasil. Com menos de 2 mil dólares americanos por pessoa é possível fazer uma viagem de 9 dias com motorista, quartos super confortáveis em ótimos hotéis e comer em bons restaurantes (estimativa de preço por pessoa, em grupo de 3 a 4 pessoas, exclui passagens aéreas).

Himba Village

Himba Village

irafas-kalahari-viageria-dicas-namibia