Islândia: Água e fogo na terra do gelo

A Renata é uma grande companheira de viagem. Juntos, já descobrimos praias desertas no Alagoas, desbravamos o Brooklyn, passeamos de bicicleta por Varsóvia, entre outras alegrias. Ela aceitou meu convite para inaugurar a Galeria Colaborativa e contar um pouco da viagem que fez para a Islandia, um lugar que muitas vezes aparece em nossas conversas. Daqui pra frente, deixo a palavra com a Rê, que vai contar desse país que considera especial.

Bicicleta na Rua

Eu sempre me interessei pela Islandia e tudo que vem dos islandeses. Gosto  da música e do design que conheço de lá. O fato de ser um país tão longe, frio, os vulcões sempre ativos, tudo isso sempre chamou minha atenção. Sem contar que todos os islandeses que conheci falam de sua terra com um amor e orgulho que raramente vejo por aí.  Quando estive em Reykjavík três anos atrás eu entendi melhor o orgulho e o amor que eles sentem. Mais que isso: passei a sentir uma profunda admiração por um lugar que antes eu apenas me interessava.

Contraste de cores

As ruas de Reykjavík, a capital da Islandia, são completamente preenchidas de tons vibrantes. As praças estão sempre repletas de crianças e as esquinas, inesperadas! Se numa você se depara com uma rampa de skate, na outra tem um mural de pinturas ou um restaurante de comida viking tradicional. As casinhas são pintadas de vermelho, azul e verde, e tem muita street art, contrastando com um céu que muitas vezes fica acinzentado com os vapores que surgem no horizonte.

Foto Reykjavik

Fogos em noite de Menningarnótt

Fogos em noite de Menningarnótt

Festa na rua

O Menningarnótt é um evento que ocorre todo ano, geralmente no primeiro sábado após o dia 18 de agosto. Essa palavra difícil quer dizer “Noite Cultural”. Eu fui sem saber, bem no fim de semana que ocorre essa festa linda, que é como se fosse uma virada cultural deles! Acabou sendo a grande surpresa da viagem. É incrível, tem palcos em várias ruas com showzinhos ao ar livre, muitas exposições de fotografias, performances e arte. Me lembrou o ambiente da koninginnedag em Amsterdam. As pessoas ficam super felizes e amigáveis, todo mundo fala com todo mundo na rua. Fomos até convidados para entrar em algumas casas, para ver fotos e conversar com as pessoas. Pela noite, tem fogos de artifício e um monte de festas pela cidade.

Banda se prepara para tocar durante o Menningarnótt

Banda se prepara para tocar durante o Menningarnótt

Lagoa azul

Um passeio imperdível é a blue lagoon. Paisagem mais insólita da minha vida. Desde o ônibus que peguei do centro da cidade pra chegar lá, tudo inacreditávelmente bonito no maior estilo cinza Björk. Essa dica é dessas que vai estar em todos os guias da Islandia, mas é impossível não citar, pois o lugar é mágico mesmo. No Airpano dá pra ter uma ideia panorâmica do visual desse lugar.

Blue Lagoon

Harpas e formas

É impossível não se impressionar com o Reykjavik Concert Hall. Acho que é o edifício mais impressionante que já entrei, por dentro e por fora. É revestido com mosaicos de espelho, o que o faz mudar de cor o dia todo, em função da luz do sol. Fui num concerto de harpa lá e fiquei maravilhada com a música, com a luz, com as formas, com tudo!

Concert Hall Reikjavík

Concerto de Harpa

Hallgrímskirkja Church

A Hallgrímskirkja Church é um marco na capital islandesa e pode ser vista de quase todos os pontos da cidade.

Viageria